Arquitetura do Século XXI ou Apenas Modernismo Centenário?

CB-Planetarium_full

CB-Planetarium_fullPodemos observar todos os dias à nossa volta os projetos arquitetónicos arrojados que vão surgindo aqui e ali. “Designs” inovadores, modernos, únicos. Mas será que esta arquitetura feita no século XXI é mesmo algo tão novo como aparenta ser? Ou será apenas uma continuação do movimento conhecido por Modernismo, com algumas adaptações às mudanças culturais, tecnológicas, às novas tendências e materiais? Estarão os arquitetos atuais a criar um movimento novo ou apenas a continuar a corrente existente há muito na Europa?

Passaram já cerca de cem anos anos desde que a linguagem arquitetónica que ficou conhecida como Modernismo surgiu na velha Europa. Até um certo ponto, é verdade que esta corrente foi assimilada pela cultura atual. Veja-se o caso do mundo financeiro e dos negócios, onde o arranha-céus com predominância de aço e vidro se tornou praticamente na única escolha e num símbolo internacionalmente reconhecido e desejado.

Embora também exista algum domínio deste formato nos edifícios de habitação, este não é tão preponderante nas nossas cidades. Mas aqui o Modernismo continua a evidenciar-se, principalmente no “design” de interiores como as cozinhas e as casas de banho – algo que não se encontra nos grandes complexos de escritórios.

Mas porque é a assimilação do Modernismo nos tempos modernos tão parcial? E porque continua esta arquitetura tão redutora a causar reações tão fortes?

O Modernismo e o Classicismo continuam a enfrentar-se e a dividir opiniões de arquitetos e do cidadão comum. Acreditamos que existe espaço nas nossas cidades e mesmo nos meios mais pequenos para um pouco de tudo. Até aquilo que inicialmente pode parecer destoar completamente do ambiente circundante poderá criar um contraste interessante e proporcionar assunto para debate e para alguma evolução na arquitetura. O importante é continuar a projetar e a criar edifícios de qualidade, mantendo vivo o debate saudável e a troca de ideias.